segunda-feira, 30 de junho de 2008

Morros de Providencia



Que espantoso o que aconteceu no morro da providencia, não é mesmo?
A morte determinada. Cruelmente. Assustadoramente.
Entregar alguém para a morte. Inocente sacrificio. Injustificavel.
Qual a motivação? Por que razão? Coisas que não conseguimos explicar, e nem mesmo aceitar.
De alguém que se esperava a segurança vem um ato horrendo e covarde. Ou será de coragem?
Depende da providencia!
Aqui no Rio de Janeiro uma covardia lamentável com motivações levianas e cruéis.
Mas noutro morro de Providência, o Moriá, uma coragem vislumbrante motivada por uma prova de fé, um apaixonado pai entrega o filho como um sacrifício ao Único Deus que poderia lhe providenciar não só um filho, mas a plena restauração dele. Ele tinha que entregar o filho para não perde-lo definitivamente. Isso é fé corajosa.
Foi então no morro da Providência divina que um cordeiro apareceu e tomou o lugar do filho amado. Espantosamente maravilhoso. Como no Calvário, o amor de Deus providenciou a morte de Um Justo por tantos outros que pudessem confiar em Sua grandiosa Providência.
Os homens entregam-se a motivos falsos e enganosos. Só causam dor e sofrimento.
Deus se entregou por nós para que a morte gerasse vida. Que tal se entregar também? A Ele, tão somente à Ele.
Pr. Eliezer F. Almeida
"Não é tolo aquele que dá o que não pode guardar, para ganhar o que não pode perder".
(Jimm Elliot, mártir entre os Aucas)

Um comentário:

sonia disse...

olá pr. à paz!! lindo blog!!
bem q os homens poderiam ter essa mesma percepção do Jimm Elliott, entregarmos aquilo q não nos pertence e teremos seguramente de volta p/ o resto de nossa vidas!!!
bjos e fcD!!